Estatísticas Produção de Uvas e Comercialização de Vinho Madeira na Região Autónoma da Madeira

Produção de Uvas e de vinho com DO/IG na RAM

Na vindima de 2019 (Campanha Vitivinícola de 2019-2020 (*)), a produção total de uvas Vitis vinífera na Região Vitivinícola da Madeira foi de 3.960 toneladas. Salvo uma pequena quantidade que os viticultores reservaram para autoconsumo, 92,8 % da produção foi vendida às empresas que se dedicam à produção e ao comércio de vinho licoroso com Denominação de Origem (DO) Madeira ou «Vinho da Madeira» e cerca de 5,3 % às empresas que se dedicam à produção e ao comércio de vinho com DO «Madeirense» e com Indicação Geográfica (IG) «Terras Madeirenses».

Na Campanha Vitivinícola de 2019-2020 (*), a produção provisória, foi cerca de 35,344 milhões hectolitros de vinho licoroso com Denominação de Origem (DO) «Madeira» ou «Vinho da Madeira», 1.413 hectolitros de vinho com DO «Madeirense», 23 hectolitros de vinho espumante de qualidade DO «Madeirense» e 73 hectolitros de vinho IG «Terras Madeirenses».

(*) A campanha vitivinícola decorre desde o dia 1 de Agosto de cada ano, até ao dia 31 de Julho do ano seguinte.

Comercialização de «Vinho da Madeira»

Em 2019, a comercialização de «Vinho da Madeira» foi de, aproximadamente, 31,629 hectolitros, representando os países da União Europeia, com uma quota de mercado de 76,6 %, o principal destino deste vinho, com especial destaque para a França (28,3 %), Portugal (19,0 %), Alemanha (9,1 %), Reino Unido (8,0 %), e Bélgica (2,1 %). O mercado nacional, com uma quota de 19,0 %, assume uma importância considerável, destacando-se aqui, com 15,4 %, o «Vinho da Madeira» que é comercializado na própria Região, impulsionado em boa parte pelos turistas que visitam a Ilha.

Fora da União Europeia os principais mercados do «Vinho da Madeira» são o Japão (8,3 %) e os Estados Unidos da América (6,6 %), seguidos pela Suíça (2,4 %), pela China (1,7%) e pela Rússia e Canadá (ambos com 1,1 %).

Analisando ainda a comercialização de «Vinho da Madeira» de acordo os diferentes tipos e idades é possível verificar que os vinhos mais comercializados, em função do grau de doçura (com e sem indicação de casta), são os vinhos doces e meio secos. De entre os vinhos com indicação do nome de casta, os vinhos mais procurados são os da casta Malvasia, seguidos pelos da casta Boal.

A comercialização de «Vinho da Madeira» situa-se maioritariamente ao nível dos vinhos correntes (com cerca de 3 anos de idade) e, relativamente aos vinhos com indicação de idade, ao nível dos vinhos de 5 e 10 anos.

No que diz respeito ao «Vinho da Madeira» com indicação do nome de casta, o volume de comercialização é igualmente superior na faixa dos vinhos com 5 e 10 anos de idade, com exceção do vinho da casta «Terrantez» cujo volume de comercialização é superior ao nível dos vinhos com 20 anos e “Frasqueira”, e do vinho da casta «Tinta Negra» cujo volume de comercialização é superior ao nível dos vinhos com 5 anos e dos “Colheitas”.

Comercialização de vinho com DOP «Madeirense» e de vinho com IGP «Terras Madeirenses»

Em 2019, a comercialização de vinho com DO ou IG foi cerca de 1.008 hectolitros, sendo 834 hectolitros vinho com DO «Madeirense», 3 hectolitros vinho espumante de qualidade com DO «Madeirense» e 171 hectolitros vinho com IG «Terras Madeirenses». O principal mercado para estes vinhos é o mercado regional, representando cerca de 85,2% do destino destes vinhos.

Analisando ainda a comercialização de vinho com DO «Madeirense» e de vinho com IG «Terras Madeirenses» é possível verificar que em 2019 os vinhos mais comercializados foram os vinhos brancos, com cerca de 37,9 %, seguidos dos rosados com 31,5 %. Os vinhos tintos corresponderam a cerca de 30,6 % da comercialização.